Efeito de sucessivas reparações por soldadura

Veiga, C., Loureiro, A., Pina, J. y Batista, A.C. . (2005) Efeito de sucessivas reparações por soldadura. Revista Iberoamericana de Ingeniería Mecánica, 2005, vol.09, n.3, p. 111-120. ISSN 1137-2729

Ficheros (Some files may be inaccessible until you login with your e-spacio credentials)
Nombre Descripción Tipo MIME Size
Documentos.pdf Pdf del documento application/pdf

Título Efeito de sucessivas reparações por soldadura
Autor(es) Veiga, C.
Loureiro, A.
Pina, J.
Batista, A.C.
Materia(s) http://udcdata.info/041674
Ingeniería Mecánica
Resumen O objectivo deste trabalho é a análise da evolução da microestrutura, das propriedades mecânicas e das tensões residuais em juntas soldadas de um aço carbono-manganês, quando submetidas a duas reparações sucessivas por soldadura. Para isso foram utilizadas chapas de dimensões 400x180x11mm, as quais foram montadas na forma de junta de bordos direitos, submetidas a um tratamento térmico de alívio de tensões residuais e seguidamente soldadas topo a topo pelo processo MAG robotizado, usando duas camadas de soldadura. Após a deposição das camadas de soldadura foram realizadas duas reparações sucessivas, também através do processo MAG robotizado. As tensões residuais foram medidas após a deposição das camadas de soldadura, bem como após cada reparação. As medições foram realizadas à superfície em linhas transversais ao cordão e ao longo do seu eixo. Finalmente foram preparados provetes a partir do material da junta, nos quais foram realizados exames metalográficos, medição de dureza e ensaios de tracção. Verificou-se que as reparações induziram alterações ao nível da microestrutura, das propriedades mecânicas e do campo de tensões residuais preexistentes na zona reparada. Ocorreram aumentos de estruturas refinadas tanto na zona afectada pelo calor como, e sobretudo, na zona fundida. As reparações provocaram uma ligeira diminuição da dureza e do limite elástico da zona fundida. Provocaram ainda, essencialmente na zona reparada, um aumento das tensões residuais longitudinais e transversais. Porém, as tensões residuais não atingiram o limite elástico do material na zona onde ocorrem.
Editor(es) Universidad Nacional de Educación a Distancia (España)
Fecha 2005-09-01
Formato application/pdf
Cobertura 111
Identificador bibliuned:iberoingmecanica-2005-vol09-n3-10
http://e-spacio.uned.es/fez/view/bibliuned:iberoingmecanica-2005-vol09-n3-10
Publicado en la Revista Revista Iberoamericana de Ingeniería Mecánica, 2005, vol.09, n.3, p. 111-120. ISSN 1137-2729
Idioma por
Versión de la publicación publishedVersion
Tipo de recurso Article
Derechos de acceso y licencia
info:eu-repo/semantics/openAccess
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0
Tipo de acceso Acceso abierto

 
Versiones
Versión Tipo de filtro
Contador de citas: Google Scholar Search Google Scholar
Estadísticas de acceso: 109 Visitas, 20 Descargas  -  Estadísticas en detalle
Creado: Fri, 18 Feb 2011, 12:12:10 CET